quinta-feira, 3 de maio de 2018

sexy as hell.




Na mais recente sessão do Ciclo Amor e Intimidade no Nimas, exibimos o filme MA NUIT CHEZ MAUD. Mas foi esta semana, ao trabalhar na edição de um documentário sobre sem-abrigo que, ao olhar para as linhas crísticas que desenhavam compaixão no rosto de um dos voluntários filmados, finalmente percebi porque é que o pascaliano Jean-Louis (Trintignant) queria tão forçosamente uma católica para casar, no filme de Rohmer. Por ser muito mais rara do que um cabelo ruivo ou do que uns olhos hazel, uma francamente boa pessoa é a derradeira prova de resistência que contraria todas as probabilidades neste mundo invertido - e é, verdadeiramente, sexy as hell.


Sem comentários:

Enviar um comentário