domingo, 7 de julho de 2019

sobre a mesma linha fina e plena

She was like a wild chrysanthemum, Keisuke Kinoshita, 1955

(...)
Já que não há uma verdadeira injustiça sobre esta terra a não ser a
própria injustiça da terra, que é estéril pelo frio ou estéril pelo quente e
raramente fértil pela doce mistura do quente e do frio; não há injustiça para
quem anda sobre a mesma porção de terra submetida ao mesmo frio ou ao
mesmo quente ou à mesma doce mistura, e todo homem ou animal que pode
olhar um outro homem ou animal nos olhos é o seu igual pois da liberdade de ação, escravos dos mesmos frios e dos mesmo calores, ricos do mesmo jeito e, do mesmo jeito pobres
(...)
Na Solidão dos Campos de Algodão, B-M Kòltès

Sem comentários:

Enviar um comentário