quarta-feira, 31 de outubro de 2018

''Não quero saber de lirismo que não seja incendiário.''

Veronika Voss, Fassbinder, 1982

POEMAS PARA PICHAR-GRITAR NOS MUROS
Daniel Francoy 

A força e o ingovernável das ervas daninhas está no sol.
Os beija-flores ainda nascem.
Não quero saber de lirismo que não seja incendiário.
Cada esquina é uma fratura exposta.
Morte às almas impermeáveis!
Agora, toda sombra é a dos carrascos.
Recuperar o jardim arrasado pelo amanhã.
O meu desespero é o da cigarra.
O meu canto é o alarme da luz aprisionada.
A noite já é sombra do amanhã.
Eu vigio a minha esperança.

Sem comentários:

Enviar um comentário