sexta-feira, 24 de agosto de 2018

''mãe estéril, como também disseste, a precisar de um filho''

Alex Webb - The Suffering of Light


Memento Vivere

Trinta e dois ou quarenta anos são vento,
estimado espectro de muitas noites e gritos.
A terra persiste megera desde que passou teu comboio, Attila,
ou mãe estéril, como também disseste, a precisar de um filho.
Ambos de berço proletário, sabemos que todo o poema é um canto de trabalho.
E só o suor nos livra. Levantamo-nos ao amanhecer como os padeiros, para
mais tarde regressarmos por uma rua longa vazia quando as estrelas
já sonham,  surpreendendo a lua desatenta da vigia, na companhia de
um pequeno gato de um negro arisco como as sombras.
Acendemos a luz, vamos buscar o pouco leite que há
e a malga para o nosso amigo, dividindo pelos três
uma lata de sardinhas. Cansado, nosso coração é leve, limpo.
Em silêncio, sorrimos, dois copos de vidro retinem,
brindam à desdita, esfumas-te em frio.

Sem comentários:

Enviar um comentário