quinta-feira, 23 de agosto de 2018

Que terra indemonstrável?

António Ramos Rosa 

gosto do meu corpo quando está com o teu
corpo. É uma coisa tão nova.
Tão bem os músculos e os nervos ainda mais.
gosto do teu corpo. gosto do que ele faz,
gosto dos seus modos. gosto de sentir a espinha
do teu corpo e dos seus ossos e sua trepidante
-firme-suave natureza que eu irei
de novo, de novo e de novo
beijar, e gosto de beijar isto e aquilo de ti,
gosto de acariciar lentamente a névoa chocante
da tua pele eléctrica, e o-que-é vem
sobre a carne separada … E nos olhos as migalhas de um grande amor,
e possivelmente gosto da emoção
de seres tão nova comigo.

Edward Estling Cummings  in No Thanks (1935), in Complete Poems 1904-1962
(Liveright Pub., 1994), traduzido por Carlos  Campos

Sem comentários:

Enviar um comentário