segunda-feira, 16 de julho de 2018

um vivo de patente / desses mortos a quem não cortaram o cordão desumbilical

J.H. Lartigue 

Durante anos fui um vivo de patente, gente de autorizada raça. Se vivi com direiteza, desglorifiquei-me foi no falecimento. 
(...)
Sem ter sido cerimoniado acabei um morto desencontrado da sua morte. Não ascenderei nunca ao estado de xicuembo, que são os defuntos definitivos, com direito a serem chamados e amados pelos vivos. Sou desses mortos a quem não cortaram o cordão desumbilical. Faço parte daqueles que não são lembrados. Mas não ando por aí, pandemoniando os vivos. Aceitei a prisão da cova, me guardei no sossego que compete aos falecidos.
''A Varanda do Frangipani'', Mia Couto

Sem comentários:

Enviar um comentário