domingo, 17 de setembro de 2017

''Fabula-te, dizia Horácio.''

O narcisismo da pequenas diferenças de Freud é a chave para se entender muito da violência recíproca; tribos inteiras se matavam por uma pequena cicatriz, e Freud concluiu que a pequena diferença suscita horror porque você pode se identificar com o ‘monstro’; assassinatos violentíssimos de travestis são, evidentemente, obra de homossexuais enrustidos, mas nem precisamos ir muito longe: podem notar que tudo aquilo que nos incomoda no Outro fala um tanto de nós, daquilo que apesar de nossa repugnância vemos de nós nele; assim, invejosos percebem com facilidade a inveja dos outros, e apontam; feios dificilmente suportam feios; e quanto de pedofilia teremos nós enrustida para ter tanto horror aos pedófilos, em sua maioria pessoas um tanto infantis que queriam apenas brincar com outras crianças? Fabula-te, dizia Horácio: conta a tua história, que te contempla num espelho.
Luíz Soares Júnior (2017)

Sem comentários:

Enviar um comentário