domingo, 21 de agosto de 2016

Facebook.

: diagnóstico de uma OD 





Os temperamentos entornam-se facilmente. Rebentam-se os ânimos. As garras soltam-se. A lucidez escasseia, a lógica e a racionalidade também. Na rapidez irreflectida do comentários instantaneamente trocados, vêem-se boas cabeças a contrariar as próprias crenças, com palavras de que arrependerão logo depois. Reduz-se. Falta humor. Falta tolerância. Falta diplomacia. À força de se insurgirem contra tudo, há os que aparecem sempre de punhos arregaçados para um combate. Mesmo os mais expressivos falham à precisão e traem-se entre palavras. Há mal-entendidos em série. Amigos discutem nada amigavelmente. Espicaça-se o confronto. Instala-se gratuitamente a violência. O terreno é fértil para irritações de estimação. Toda a gente se entreolha no imediato de um juízo de superfície. Os preconceitos dominam. O ódio impera. O desinteresse instala-se. 

Prescrevo-me férias das redes sociais.

Sem comentários:

Enviar um comentário