terça-feira, 2 de junho de 2015

Sobre o que nunca vou saber.

Monk's House, chalet do séc XVIII na aldeia de Rodmell - lounge e biblioteca de Virgina Woolf

''Penso: e se aquilo que não sabemos pudesse ser medido em quilómetros?'' Catarina Mourão em A Toca do Lobo, 2015

Como disse Almada diante de uma biblioteca, o que aí testemunhamos é a própria mortalidade. A verdade é que não sabemos se a finitude nos vai permitir ler tudo o que queríamos e necessitaríamos. O ir vivendo é, a cada instante, a responsabilidade da escolha. 


Sem comentários: