sexta-feira, 24 de junho de 2016

(22)

o segredo é simples: 
dar comida aos peixes
e fazer o lume.


a tristeza fundou-se na morte
a morte nasceu-me com a vida.

deus, 
que palavra esta tão tudo
que palavra esta tão nada


tenho tempo a perder
tenho aliás todo o tempo a perder

tudo o que tenho a perder não é nada
nada perco


infinita fractura onde o corpo foge
como se ali houvesse dívida

olham para mim nos cafés
- eis criatura só
em cara desabada

O taxista enganou-me.
Deu uma volta à cidade para me levar aos comboios.
Eu sei o que ele fez mas calei-me.

preferia relva debaixo dos pés
a estas paredes brancas 

a música está demasiado alto




Sem comentários:

Enviar um comentário