quarta-feira, 4 de março de 2015

A mecânica do entretenimento

A Sociedade do EspectáculoGuy Debord, 1967

'' A diversão é o prolongamento do trabalho sob o capitalismo tardio. Ela é procurada pelos que querem se subtrair aos processos de trabalho mecanizado, para que estejam de novo em condições de enfrentá - lo. Mas, ao mesmo tempo, a mecanização adquiriu tanto poder sobre o homem em seu tempo de lazer e sobre sua felicidade, determinada integralmente pela fabricação dos produtos de divertimento, que ele apenas pode captar as cópias e as reproduções do próprio processo de trabalho. O pretenso conteúdo é só uma pálida fachada; aquilo que se imprime é a sucessão automática de operações reguladas. Do processo de trabalho na fábrica e no escritório só se pode fugir adequando - se a ele mesmo no ócio. Disso sofre incuravelmente toda diversão. O prazer congela - se no enfado, pois que, para permanecer prazer, não deve exigir esforço algum, daí que deva caminhar estreitamente no âmbito das associações habituais. O espectador não deve trabalhar com a própria cabeça.''
 Theodor Adorno e Max Horkheimer (O Iluminismo como Mistificação das Massas)

Sem comentários:

Enviar um comentário