sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Aos teus olhos de alvorada.

(...)
Depois... — abre os teus olhos, minha amada! 
Enterra-os bem nos meus; não digas nada... 
Deixa a Vida exprimir-se sem disfarce! 
(...)

José Régio


Graham Sutherland's 'Western Hills' (1938-41)


 (Uma Rapariga no Verão, Vítor Gonçalves, 1986)



segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Lacrima corpus dissolvens


Contes Immoraux - Walerian Borowczyk (1974)


Lacrima corpus dissolvens

às vezes apresenta-se
um animal

coberto de penugem e pó
quer morar comigo
deixa o ar
frio
enche o ar
de um leve fumo cinzento
enquanto passa
leva uma mala com obscenos objectos do passado e exibe-os sem vergonha, cruel
eu desmancho palavras sobre ele como se cantasse uma canção antiga

mas esse animal
(que não é mesmo animal mas criatura estranha,
corpo feito de escuridão e lágrimas)

torna-se milhares de gotas microscópicas que eu respiro
como se fosse vírus
e enche meu peito de um espaço vazio e amargo
eu tento deitá-lo pela boca fora, cuspi-lo,
mas só sai pelos olhos quando já é salgado

acontece assim,
às vezes.


Celeste Wladyka

Tenho medo porque o tempo existe.

Black Sun (Gary Tarn, 2005)


A linha do universo

Tudo cai, em constante proporção directa
à neve que se acumula no fundo;
Os Oceanos transbordaram, claros
Farinha para bolos e Tortas
De mel; As minhas abelhas
Vestem o pijama e dizem
Boa Noite - Até amanhã
Tenho medo porque o tempo existe;
Ás vezes por ser inventado, outras
Porque tudo cai - Até a Chuva

E palavras num poema
Cantado pela manhã turbulenta

Estou com dificuldades a acordar
Mas não receio a cidade a ruir,
Vamos brincar para os escombros.
Por baixo das pedras vive
Uma mulher que pintou a vagina de negro:
Está de luto pela Globalização
- Já ninguém deseja comer mais
Deste Pão, que Ronald Mcdonald
Distribui pelos fieis.

Tudo cai, amor,
Vamos cair também - De cabeça
Acordaremos assentes no fim do Universo.




Lígia Reyes
 A Sul de Nenhum Norte

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Try to have fun in the meantime.

Brassai 

domingo, 3 de agosto de 2014

enquanto isso, em redor :





Correspondencia Jonas Mekas - JL Guerin