quarta-feira, 24 de abril de 2013

Bobô ?



"Como os portugueses em França também comem o seu bacalhau sempre que podem e ouvem a música portuguesa e há ali uma exacerbação do ser português, também os guineenses assim o fazem, porque há uma luta de sobrevivência da sua identidade, étnica e nacional", compara. "http://www.noticiasaominuto.com/cultura/65568/portuguesa-filma-mutila%C3%A7%C3%A3o-genital-n%C3%A3o-como-barb%C3%A1rie-mas-como-acto-civilizacional#.UXisPyvwJ4L

Ouvir música pimba e mutilação genital tem tudo a ver. Na medida em que são actos civilizacionais. Afirma a realizadora Inês Oliveira. 
Por esse prisma, todos os actos são justificáveis a partir do momento em que perpetuam uma prática  do passado no presente? Porque estão amparados pela norma de uma sociedade previamente considerada como civilizada? No Texas executam a pena capital e ali no Campo Pequeno ainda há touradas. Portugal e os EUA são há já muito tidos como países civilizados, mas é por isso que alguma dessas práticas deixa de ser bárbara? 

Não sei o que é que mais (me) envergonha : se esta postura, se esta entrevista.... 

segunda-feira, 22 de abril de 2013

as troikas.

Entrevista de Aldous Huxley com Mike Wallace (1958)

domingo, 14 de abril de 2013

Sorte


The Iron Mask (1929) Allan Dwan

“Todo aquele que trema um segundo deixa talvez fugir a oportunidade que precisamente durante esse segundo a sorte lhe oferecia.”
Alexandre Dumas, in Os Três Mosqueteiros

quarta-feira, 3 de abril de 2013

O passado no presente.


 Accident, Joseph Losey, 1967