terça-feira, 13 de setembro de 2011

perten

ser.


... Não quero possuir a terra mas ser um com ela. Não quero possuir nem dominar porque quero ser: esta é a necessidade. Com veemência e fúria defendo a fidelidade ao estar terrestre. O mundo do ter perturba e paralisa e desvia em seus circuitos o estar, o viver, o ser. Dai-me a claridade daquilo que é exactamente o necessário. Dai-me a limpeza de que não haja lucro. Que a vida seja limpa de todo o luxo e de todo o lixo. Chegou o tempo da nova aliança com a vida.

poema inédito, sem data. 
SOPHIA
Como o rumor do mar dentro de um búzio
O divino sussurra no universo
Algo emerge : primordial projecto

SOPHIA 








William Blake



...
E beija-me, e prende os laços nupciais em redor do meu peito,
E diz: "Mãe dos meus filhos, amei-te a ti
E dei-te uma coroa que ninguém te pode tirar."
Mas como é, doce donzela, não sei, nem posso saber
Medito, e não consigo meditar; e todavia vivo e amo.

O LIVRO DE THEL. Blake.

...
Ah nascimento terrível ! uma cria irrompe! onde está a boca que 
chora?
E onde o leite da mãe? em vez disso, as sempre-sibilantes
mandíbulas
E os lábios ressequidos caem com sangue novo; serpenteias
agora nas nuvens
A tua mãe estriada já estendida na praia lá em baixo.


Sei quem és, encontrei-te, & não te deixei ir embora;
És a imagem de Deus que habita a negritude de África;
E caíste para me dar vida nas regiões da negra morte.

AMÉRICA : UMA PROFECIA, Blake.







Willem de Kooning 


O amor positivo da vida busca a inteireza. Porque busca a inteireza do homem a poesia numa sociedade como aquela em que vivemos é necessariamente revolucionária - é o não aceitar fundamental. A poesia nunca disse a ninguém que tivesse paciência. O poema não explica implica.

10 de Maio de 1975. Sophia de Mello Breyner Andresen


Sem comentários:

Enviar um comentário