quinta-feira, 22 de setembro de 2011

O MORTO NÃO SOU EU.

La Nuit Claire, Marcel Hanoun, 1979


"Le mort n’est pas moi, il est une version de moi que je projette en-dehors."
La mort sans costume, Julien Oreste

È bastante peculiar que se possa ver e saber com nitidez o que é bom e o que é ainda melhor…”
Trechos de Viagem à Itália (1786-1788), de J. W. Goethe


Difícil é saber de frente a tua morte
E não te esperar nunca mais nos espelhos da bruma.

Sophia in "Navegações"

Sem comentários: