terça-feira, 26 de abril de 2011

: Facebook Group

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Liberdade 2 : NOSTALGIA REVOLUCIONÁRIA

"a história dá lições, mas não tem alunos."
Ingeborg Bachmann





Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade
Dentro de ti, ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada esquina um amigo
Em cada rosto igualdade
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada rosto igualdade
O povo é quem mais ordena
À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola a tua vontade
Grândola a tua vontade
Jurei ter por companheira
À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade









Cena do filme Recordações da Casa Amarela de João César Monteiro, 1989

Loucura.



"No fundo o que é um maluco? É qualquer coisa de diferente, um marginal, uma pessoa que não produz imediatamente. Há muitas formas de a sociedade lidar com estes marginais. Ou é engoli-los, tranformá-los em artistas, em profetas, em arautos de uma nova civilização, ou então vomitá-los em hospitais psiquiátricos"

António Lobo Antunes




Stanislaw Ignacy Witkiewicz

domingo, 24 de abril de 2011

continuum.




Vladimir et Rosa, 1971, Groupe Dziga Vertov


sábado, 23 de abril de 2011

Sessão Temporariamente Suspensa.


Convite para a sessão temporariamente suspensa, a nossa acção/protesto que se realiza no dia 28 de Abril, às 21h,em frente às instalações da Cinemateca.

Na próxima terça-feira, dia 26, às 19h, haverá uma reunião para discutir propostas para a acção de dia 28, na esplanada da Cinemateca.

Liberdade 1.



DO YOU?
DO YOU FEEL?
DO YOU FEEL FREE?



















by Marcel Odenbach







* beauty in a box
TIRANIA TV





: O Sorriso de Sílvio Berlusconi por Carlos Natálio, in blog ORDET, 24.4.2011

"...Que a decadência da cultura de massas seja óbvia não é um exclusivo italiano. Que a dimensão da manipulação de informação e de pobres destinos seja um efeito dessa decadência também não. O interessante neste VIDEOCRACY é que neste império, ao contrário de outros, ainda há uma cabeça nobre visível a comandá-lo, dir-se-ia na «digna» linhagem de Mussolini, uma figura que em Itália não foi de longe tão escrutinada como o seu, digamos, congénere alemão. Desta forma, VIDEOCRACY permite-se ser uma espécie de plataforma para repensar estas linhagens, questionar o papel dos sorrisos e sobretudo encetar um projecto de renovação identitária que a Itália ainda não abraçou desde o pós-guerra..."



: Lição pelo Centenário da UL por António Pedro Vasconcelos, 10.2.2011

"... a pressão foi no sentido em que se criassem canais privados sem abolir os canais públicos. (...) Começa em Itália essa vaga dos canais privados, e aqui é que se inicia, a meu ver, a irresponsabilidade da maioria dos governos europeus. Nem todos, porque, apesar de tudo, os governos nórdicos, tiveram o bom senso, a inteligência e a coragem de não ceder de uma maneira indescriminada à pressão dos privados. Aconteceu em Itália, nos anos 80, com um senhor chamado Sílvio Berlusconi, (...) na altura, relativamente desconhecido (...), inscreveu-se na maçonaria e no partido socialista, e convenceu o senhor Craxi de que era socialista e de que tinha maneira de fazer crescer o partido. Como? Criando uma televisão. Porquê? Itália é um país excêntrico e tinha um sistema único, com três televisões públicas, RAI 1,2 e 3 e tinham de resolver um problema de como gerir as televisões, então criaram um sistema a que chamaram 'lotizacione' (...) O Berlusconi convenceu Craxi a legislar no sentido de autorizar o aparecimento de televisões privadas. Como é que o fez? Fê-lo começando a criar bolhas de televisões regionais. Em 81, já eram 1200. Depois convenceu Bettino Craxi a autorizá-lo a pô-las em rede - um pouco como a TSF fez em Portugal - conseguindo tornear a legislação. (...) No entanto, não estavam autorizadas a ter notícias, só entretenimento. (...) E aqui chegamos a um dos pontos que tornam a televisão num objecto fascinante, mas perigoso. Berlusconi conseguiu criar três canais de televisão privados, todos dele, que cativaram 50% das audiências. (...) Em pouco tempo, com as televisões ao serviço da propaganda, chegou a primeiro-ministro e não só manteve as televisões privadas como ficou com o controlo da RAI, sendo dono e senhor da informação. (...) Todos os reality shows que depois se espalharam pela Europa fora, começaram em Itália, com uma programação ultra populista, boçal..."
António-Pedro Vasconcelos




* beauty along the shelves
NEO-TRAGÉDIA


:“Tiro tudo o que há em cima da mesa / as Coca-colas, os restos dos molhos, tudo / Deixo o espaço limpo só para as asinhas de frango / Uma, duas, sete asinhas de frango / Coloco-as na mesa, cada qual no seu sítio / Perfeitas / Agarro no ketchup e escrevo bem grande na mesa a palavra: TRAGÉDIA / E o meu filho caga-se a rir / E explico-lhe que a TRAGÉDIA começa com o mundo industrializado.”


Agamémnon - Vim do supermercado e dei porrada ao meu filho, peça de teatro do dramaturgo hispano-argentino Rodrigo García, com interpretação de Gonçalo Waddington e direcção de John Romão.
de 21 a 30 Abril - Teatro S.Luiz











Tout va bien, Jean-Luc Godard e Jean-Pierre Gorin, 1972

: "...a supermaket: daily seven hundred millions of turnover. a great area, a great social theatre. And in this theatre every one screams but the audience. he pays and he displays that he is quiet. nobody talks to him yet... outside the factory, another factory. nobody talks to nobody. in fact, everyone is waiting for new actors."
"Live better! the government politics must let manual laborers and intellectuals wage earners or not live better..."
"do you let me take a glipmse of this hefty wad?"
"ask him politely"
"Excuse me, sir. Would you allow me to see the book before buying?"
"of course. we want the young people to become interested in it."
"thank you!"
"you're welcome"
"There is something that i don't understand about cultural politics: the cultural progress that aids creation in all fields will stimulate national progress and will foment personality development and relations among men without precedent but it is unclear how."
"You have just opened it and you don't have finished the chapter, so you can't analize it ..."
"excuse me. the boy posed you a question. You have to answer... are you AN activist?"
"of course. but what i am trying to say is..."
"have you written the book? explain..."
"Listen boy, come to my office..."
"ok! but i've made you a question..."
"you can't sell bookS as if it were vegetables."
"don't pay! everything is free! today it's all for free, it all belongs to you. it's time to change. don't pay, don't pass through the cash desk!"
"out! bullies! murders!"
texto via luispy (youtube)











COMPRAR, TIRAR, COMPRAR, Cosima Dannoritzer




Penso que a televisão traiu o sentido do discurso democrático, juntando o caos visual à confusão das vozes. Que papel tem o silêncio em todo este barulho?" Federico Fellini

Auctoritas.

http://www.clairebeaugrandchampagne.ca/
le jour, 1975-1976






quinta-feira, 21 de abril de 2011

Into the mirror.

Where do I belong to?
Where do you belong to?
Why I am here? Why here?
In which map does the rest of my life fit?
...




Tassili n'Ajjer National Park (Sahara Desert)


Siberia's Lena Delta


Sarychev Volcano


Patagonia


Dry Valleys, Antarctica


Lullaillaco Volcano


Alaska






in http://www.nasa.gov/topics/earth/earthday/earthday_gallery.html

SPIRAL JETTY
Robert Smithson, 1970




MIRROR TRAIL (ITHACA) Ithaca, NY Feb,
Robert Smithson 1969







Les Glaneurs et la Glaneuse
Agnès Varda, 2000






Die Nibelungen: Kriemhilds Rache, Fritz Lang (1924)


quarta-feira, 20 de abril de 2011

Da Natureza, da Arte ou da Vida.



"Para um criador, uma teoria não é nada, não serve senão para as pessoas já mortas."
FRITZ LANG
entrevista a Jean Demarchi e Jacques Rivette
Cahiers nº99, Set. 1959



"A obra de arte é de uma solidão sem fim, e nada está mais longe de tocá-la do que a crítica."
RAINER MARIA RILKE
Cartas A Um Jovem Poeta


"...E é isto, meu caro! É isto que nos torna pobres no meio das riquezas: por não podermos estar sós, por o amor não morrer em nós enquanto vivermos. Dá-me de novo o meu Ádamas e vem com todos os que me pertencem, para que o antigo mundo belo entre nós se renove, para que nos reunamos e unamos nos braços da nossa divindade, da Natureza...."
FRIEDRICH HOLDERLIN
in Hipérion ou O Eremita Da Grécia











"Caça ao Coelho com Pau", Pedro Costa, 2007


Tarrafal, Pedro Costa, 2007


Porque é Preciso Preservar a Cinemateca!



Manifesto

do movimento de espectadores da Cinemateca

in http://sessaotemporariamentesuspensa.blogspot.com/
 Em Março, a Cinemateca Portuguesa cancelou treze sessões. Em Abril, fechou uma das suas duas salas. As cinco sessões diárias passaram para três. No total, foram canceladas cinquenta e nove sessões. O desdobrável da programação mensal, com textos que apresentam a história do cinema escrita a cada mês pela Cinemateca, transformou-se numa fotocópia A4 com a enumeração de títulos e horários. 
O trabalho de conservação do património cinematográfico nacional único e irrecuperável, em depósito no ANIM, está em risco.
Este movimentocivil e apartidário, surge em defesa do trabalho da Cinemateca e do ANIM. 

Cada cancelamento é um filme que não circula, uma imagem que não pensamos. Cada filme que não é preservado é uma memória apagada, uma ideia que não veremos.


A Portaria n.º 4-A/2011 impede que a Cinemateca tome decisões de forma autónoma sobre o seu funcionamento. Para o transporte de cópias de filmes ou no caso de avaria do seu material de conservação e restauro, a Cinemateca é obrigada a pedir autorização ao Ministério das Finanças para a contratação indispensável e inadiável destes serviços. O tempo exigido por este processo burocrático é inadequado à função específica da Cinemateca e boicota o serviço público. Uma avaria no ar condicionado necessário à conservação das cópias não pode ser reparada de imediato, um filme em língua estrangeira não pode ser legendado. O nosso país fica excluído da circulação internacional de filmes, restringindo-se ao limitado acervo do ANIM.
Apesar de não estar em causa, por enquanto, uma interdição ou corte, a Cinemateca está impossibilitada de aceder ao orçamento que lhe foi atribuído e fica obrigada a servir o fechamento do país. 

Este movimento de espectadores chama a atenção para o absurdo da aplicação desta Portaria à Cinemateca Portuguesa e pede uma revisão que vá ao encontro de um indispensável enquadramento do seu trabalho.

Convocamos uma manifestação de apoio à Cinemateca no dia 28 de Abril, às 21h, em frente às suas instalações, na rua Barata Salgueiro, n.º 39, em Lisboa.

terça-feira, 19 de abril de 2011

hoje sinto-me assim :

(as oraculares ironias da técnica : "he's talking to me...".)


Taxi Driver, Scorsese 1976
a passar no canal Hollywood às 00h50, 19.4.11

...




As desigualdades são extremamente corrosivas para qualquer sociedade. Sinto que existem fronteiras, que existem valores. E devem ser estes valores a guiar um estado de esquerda.
(...)
Ser governante em Cabo Verde requer um discurso ético sem limites que eu trago de Amílcar Cabral, que não conheço.
(...)
A felicidade é sempre fruto da terra e do trabalho dos homens."

JOSÉ MARIA NEVES, Primeiro Ministro de Cabo Verde
a propósito do lançamento do livro "Uma Agenda De Transformação para Cabo Verde"
em Lisboa, a 18 de Abril de 2011

sábado, 16 de abril de 2011

REAGENDADO

DEBATE POR CINEMA NA 2
12 de Maio, 18h, FCSH

Movimento de Espectadores da Cinemateca.


"As imagens só existem com o fogo da projecção. Contudo, é possível queimar as imagens ao interditar a sua projecção como um auto da fé de livros." Marcel Hanoun


Movimento de Espectadores Da Cinema
CONVOCA MANIFESTAÇÃO
para o próximo dia 28

in Público, 16.4.2011



" O recém-criado movimento de espectadores da Cinemateca, que se descreve como “civil e apartidário”, convocou “uma manifestação de apoio” à instituição para o dia 28 de Abril, em Lisboa.
O movimento, que se afirma ainda “em construção”, tendo 60 pessoas participado na sua primeira reunião, informa em comunicado ter surgido “em defesa do trabalho” da Cinemateca Portuguesa, afectado pela Portaria n.º 4-A/2011, que “impede” que “tome decisões de forma autónoma sobre o seu funcionamento”.
“Para o transporte de cópias de filmes ou no caso de avaria do seu material de conservação e restauro, a Cinemateca é obrigada a pedir autorização ao Ministério das Finanças para a contratação indispensável e inadiável destes serviços”, refere o comunicado.
“O tempo exigido por este processo burocrático é inadequado à função específica da Cinemateca e boicota o serviço público”, defendem estes espectadores.
Segundo o movimento, desde março foram canceladas, no total, 59 sessões na Cinemateca. As cinco sessões diárias passaram a três e uma das suas duas salas fechou. “O desdobrável da programação mensal, com textos que apresentam a história do cinema escrita a cada mês pela Cinemateca, transformou-se numa fotocópia A4 com a enumeração de títulos e horários”, descreve o grupo de espectadores.
“Cada cancelamento é um filme que não circula, uma imagem que não pensamos. Cada filme que não é preservado é uma memória apagada, uma ideia que não veremos”, sustenta o movimento, que criou um blogue dedicado a este assunto, em http://sessaotemporariamentesuspensa.blogspot.com.
O movimento reconhece que não está em causa, “por enquanto, uma interdição ou corte”, mas realça que “a Cinemateca está impossibilitada de aceder ao orçamento que lhe foi atribuído”. Isto mesmo já explicou à agência Lusa a directora da Cinemateca, Maria João Seixas, realçando que não se trata de menos orçamento, mas de maiores dificuldades na utilização do orçamento existente.
O movimento de espectadores refere também que o “trabalho de conservação do património cinematográfico nacional único e irrecuperável”, em depósito no Arquivo Nacional das Imagens em Movimento (ANIM), “está em risco”.
O grupo frisou ainda que o encontro que aconteceu na passada quarta-feira, na Cinemateca, cuja organização foi atribuída ao Bloco de Esquerda -- por assim constar da agenda do fórum online mantido por este partido, o esquerda.net --, não foi um encontro político “contra os cortes” na instituição, mas de “um movimento espontâneo e apartidário de espectadores da Cinemateca”.
Na quinta-feira, a direcção da Cinemateca Portuguesa emitiu uma nota de esclarecimento na qual disse que o Ministério da Cultura tem sido “sensível” às “dificuldades” de adaptação à nova portaria, que alterou os procedimentos administrativos.
“Refutamos as notícias alusivas aos cortes no orçamento” da Cinemateca “como causa principal das profundas perturbações actualmente sentidas em todas as suas actividades”, referiu a direcção do organismo.
Já na quarta-feira, numa nota de esclarecimento, o Ministério da Cultura, que tutela a Cinemateca Portuguesa, tinha comunicado que “não existem quaisquer cortes de financiamento” na instituição. "


sexta-feira, 15 de abril de 2011

Greed.




GREED, Erich von Stroheim, 1924