domingo, 3 de outubro de 2010

2.




Memórias
dos rostos sonhados.

Os Rostos.

Os grandes retratistas são grandes mitólogos.
in A Câmara Clara, Roland Barthes







Persona significa na origem "máscara" e é através da máscara que o indíviduo adquire um papel e uma identidade social. Assim, em Roma, cada indivíduo era identificado por um nome que exprimia a sua pertença a uma gens, a uma estirpe, mas esta era, por sua vez, definida pela máscara de certo antepassado que cada família patrícia guardava no átrio da sua casa. Daqui a fazer da persona e da "personalidade" que define o lugar do indivíduo nos dramas e nos ritos da vida social, a distância é curta, e persona acabou por significar a capacidade jurídica e a dignidade política do homem livre. Quanto ao escravo, do mesmo modo que não tinha nem antepassados, nem máscara, nem nome, não podia também ter uma "pessoa", uma capacidade jurídica (servus non habet personam). A luta pelo reconhecimento é, portanto, luta por uma máscara.
in NUDEZ, Giorgio Agamben
La Vie de Boheme, Kaurismaki, 1992

The Scenic Route, Rappaport, 1978



( Le visage n'est pas "vu". Il est
ce qui ne peut devenir un contenu, que votre pensée embrasserait; il
est l'incontenable, il vous mène au-delà.

Emmanuel Lévinas)



PORTRAITS, Thomas Ruff, 1985








auto-retratos, fotografias e aguarelas de Gottfried Helwein






FACES, Cassavetes, 1968




LA RÈGLE DU JEU, Jean Renoir, 1939


: muito breves notas sobre jogos de rostos
indicações para horas de relações possíveis, a crescer entre olhares.

LES YEUX SANS VISAGE (Franju 1960)
- a alma vence o corpo e propõe-se a existir sem rostos : sublinha-se a força da libertação do bem sobre o mal, da vida sobre a morte (independentemente do rosto). 





SUNSET BOULEVARD (Wilder, 1950)
- as consequências da idade operam sobre o rosto da ex-diva contra as limitações da capacidade da sua aceitação



VALLEY OF THE DOLLS (Mark Robson, 1967)
- o vício por fármacos que marcam a época opera consequências descontroladas na personalidade das "bonecas" de perfeição aparente.



V FOR VENDETTA (James McTeigue, 2006)
- a reapropriação estilizada de um acontecimento que marca uma morte, consequentemente revitalizada pela incorporação colectiva da mesma máscara (a comunhão multiplicada de um só rosto)




THE FACE OF ANOTHER ( Hiroshi Teshigahara, 1966)
e THE SILENT OF THE LAMBS (Jonathan Demme, 1991)
- com semelhança, o rosto de outrem é usado para mascarar o seu próprio rosto. questionam-se as relações de correspondência entre a personalidade e o seu rosto.




THE GREAT DICTATOR (Chaplin, 1940)
e TO BE OR NOT TO BE (Lubitsch, 1942)
- onde as similaritudes faciais (da encenação e da distracção) despoletam a narrativa.



THE CURIOUS CASE OF BENJAMIN BUTTON (David Fincher, 2008)
- inversão da acção da idade sobre rosto e restante corpo - a contradição permanente entre a aparência e a idade mental e as capacidades comportamentais inerentes;



THE PICTURE OF DORIAN GRAY (Albert Lewin, 1945)
- o drama do famoso rosto imutável, parado pelos trinta anos como a eterna beleza de cristo


VERTIGO (Hitchcock, 1958)
- a obsessão de um homem que pretende consecutivamente mascarar outra mulher até à semelhança da mulher perdida


LA DOUBLE VIE DE VERONIQUE (Krzysztof (Kieslowski, 1991)
- a semelhança de clone entre duas mulheres em dois pontos geográficos distintos cruza misteriosamente os seus destinos

The Man who Laughs (1928, Paul Leni)
- o castigo de ter sempre um sorriso cravado na face

OPENING NIGHT (John Cassavetes, 1977)
- a actriz que sente repulsa pelo papel da mulher de meia idade em que, sem que soubesse, se espelha



PERSONA ( Ingmar Bergman, 1966)
- a cumplicidade das duas personalidades chega a desejar rosto e respectivas vidas.


MULHOLLAND DR. (David Lynch, 2001)
- a projecção do desejo materializa-se das feições do ente desejado.


AQUELE QUERIDO MÊS DE AGOSTO (Miguel Gomes, 2008)
- o tema da semelhança entre mãe e filha enuncia uma aproximação particular do pai.


SECONDS (John Frankenheimer, 1966)
- Aspirações de mudança radical de vida, implicam-se nas mutações de  um rosto, a que a personalidade anterior resiste.




Dr. Jekyll and Mr. Hyde (Rouben Mamoulian, 1931)
Ao procurar a destilação científica da alma entre a sua parte boa e a sua parte má, o rosto e o corpo de Dr. Jekyll transfigura-se entre duas aparências que permanentemente lutam entre si pelo domínio do mesmo corpo.


NA SEQUÊNCIA DESTE POST DE LUÍS MENDONÇA NO BLOG CINÉDRIO

Sem comentários: